PRIMADO 07 COVAS DO BRASIL -  TEMPLO DE UMBANDA

"A verdade só está disponível para os despertos no espírito" (Sr. Exu 07 Covas)

"Eu não vim pra esclarecer, eu vim pra confundir". (Exu Mirim Tata Caveirinha)





"A vida é uma pergunta que você tem que responder". (Sr. Malandro Camisa Preta)





"Quando a vida está ruim, o Rosário é um simbolo que nos indica como buscar ajuda" (Pai Antonio de Angola).





"“Lá no sertão eu aprendi que a seca, a fome e a miséria não podem ser usadas para questionar a justiça divina, afinal, foi o homem quem maltratou a natureza, quem não repartiu o pão, quem maltratou uns aos outros” (Sr. Baiano Zé do Coco)






“A vida é alegre? A vida é triste? A vida é o que você é”. (Sr. Martim Pescador)
Textos

 Miguel Camisa Preta

 
Quem nunca teve inimigos não conhece a guerra e o bom sabor da vitória. Foi num desses episódios que ele chegou na minha Casa, malandreando, falando com um linguajar do morro, pedindo cigarro e cerveja, cantorolando sambas da Portela, e falando do seu grande amor, Ceci; ele chegou pra ficar. Como todo bom malandro, não revelou sua identidade de imediato, queria saber onde estava pisando, quem éramos nós. Perguntado sobre sua identidade ele respondeu: EU SOU SETE FACAS, e começou a explicar as razões de sua chegada.
 
 
Estávamos no segundo semestre de 2014, em São Paulo, prestes a vir para Porto Velho, Rondônia; na ocasião, eu havia passado em 2º lugar em um concurso público e aguardava minha convocação, que não demorou a sair. Camisa Preta, malandro dos bons, com suas sete facas, chegou e disse: “vocês vão voltar, mas vão precisar de proteção, por isso eu to aqui, e todos os guias que acompanham o meu camará também estão; nesse momento estão varrendo cada buraco do astral para encontrar aqueles que foram pagos pelos para fazer algum mal. A ordem é encontrar e aprisionar”.
 
 
Ficou em terra quase três horas, conversando com minha esposa Camila, que estava gravando todo o dialogo a meu pedido, a fim de que pudesse posteriormente ouvir. Camisa Preta falou, falou, e falou. Pontuou que “todo inimigo é valente na hora de fazer o mal as escondidas, mas que ninguém é corajoso para encarar pela frente, e explicou que a hora era de cobrança, e que muitos iam gemer pelo que haviam tentado fazer”. Lembra, dos inimigos que falei no início do texto? Sempre tive muitos, mas, até hoje, venci todos. Perdi algumas batalhas, mas na guerra sempre triunfei. No final, eu sempre venço.
 
Devo isso a muitos companheiros espirituais, homens e mulheres como eu, que se identificam com a política de jogar limpo, ainda que isso signifique desagradar hipócritas e mentirosos. Nada gera tanto inimigo quanto falar o que se pensa, e como sempre falei o que penso por onde passei sempre tive muitos inimigos. Estava em Porto Velho em 2012, quando decidi ir a São Paulo, e quando fui, muitos inimigos atentaram contra minha vida, usando ardis diversos, inclusive magia negra para amarração e morte, mas não contavam com um fato: o meu espírito também é feiticeiro, e sei devolver na mesma moeda, sem falar que nunca andei só no lado espiritual. Comecei perdendo, mas no final venci a todos, um a um. Os velhos inimigos se foram, mas vieram os novos.
 
 
Eles me observam dia a dia e pensam: “quando que esse imbecil vai cair”, e não entendem porque eu ainda estou e pé, e continuo falando, fazendo, provocando. A razão e eu não cair é simples: eu nunca estive só, e sempre me movimentei na espiritualidade para garantir que a maldição não chegue a minha porta. Na tentativa de me derrubar, muitos se perderam, foram envergonhados, afastados, e isso tudo e mais um pouco devo a pessoas como esse malandro, que do outro lado sempre me segurou, e segura. Brincando, e provocando, respondi a um desavisado esses dias que a razão de eu estar de pé é que “meu nome é legião, e somos muitos” (uma provocação em tom de brincadeira), na verdade só queria dizer que não estou só. Seu Camisa Preta achou engraçado.
 
 
Por que estou contando essas coisas? Como forma de agradecimento, pois ele esteve no meu terreiro esses dias e deixou um recado pra mim em meio a alguns embates que me encontro na área profissional; disse que “eu não caio enquanto não chegar minha hora, e que de fato, somos muitos”; e como sempre, o que ele fala pode escrever; ante a ataques variados que venho sofrendo no meu ambiente de trabalho, por levantar a voz pelo que é justo, eu permaneço de pé, para indignação dos que me querem ver pelas costas. Ainda não chegou minha hora, e quando chegar, não serei derrotado, sairei triunfante, de cabeça erguida, e o velho sorriso debochado no rosto, com a honra de saber que, se eu venci, é porque nunca estive só, e fui até onde tinha que ir, cumpri meu propósito.
 
Seu Camisa Preta é um dos meus principais falangeiros, amigo, companheiro, que tá na estrada comigo há tempos, em quem eu confio, que provou diversas vezes a sua lealdade, é por isso que eu agradeço. Não é dado a todos a mediunidade ostensiva de incorporação, mas fui agraciado com tal oportunidade, e por isso sei o que é caminhar acompanhado, por isso, respeitando, mas enfrentando meus adversários, a maioria cristãos-protestantes que não toleram minha religiosidade e o fato de eu ser pai de santo, é que continuo dizendo em tom provocativo: meu nome é legião, por que somos muitos. E na minha legião, ninguém obedece ordens de qualquer alheio, pois a nossa ordem vem de cima e de baixo ao mesmo tempo, não é uma fábula escrita em papiros antigos.
 
Sempre que posso, homenageio seu Camisa Preta no meu terreiro, por toda a proteção e ajuda recebida. Bem, ele dispensa apresentações, ele é a razão de que continuar continuando, e de ter a certeza de que eu não serei surpreendido. Como diz seu ponto: “malandro que na minha cara der pode fazer testamento e se despedir da mulher”, sim, ele é quimbandeiro, ele é de Ogum, Ele é de Omolu, e o nome dele é Miguel…MIGUEL CAMISA PRETA.
 
 
PAI JADER DE XANGÔ – SACERDOTE DO PRIMADO 07 COVAS DO BRASIL – TEMPLO ESCOLA DE UMBANDA
Primado Sete Covas do Brasil Templo de Umbanda
Enviado por Primado Sete Covas do Brasil Templo de Umbanda em 08/08/2018
Alterado em 08/08/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras