Noriega: O Favorito de Deus é um filme de drama e suspense que retrata a vida do ex-presidente do Panamá, Manuel Antonio Noriega, que governou o país durante um dos momentos mais conturbados da sua história. Ao longo do filme, é possível acompanhar Noriega em sua ascensão ao poder e como ele mergulha em uma espiral de corrupção, tráfico de drogas e poder absoluto.

A história começa quando Noriega se aproxima do líder militar Omar Torrijos, que governou o Panamá entre 1968 e 1981. Torrijos, que veio ao poder através de um golpe militar de esquerda, acaba por escolher Noriega como o seu braço direito, dando-lhe cada vez mais poder e influência dentro do governo.

Ao longo dos anos, Noriega cresce em poder e começa a ter mais autonomia e decisões importantes nas mãos. Mas, ao mesmo tempo, ele começa a se tornar cada vez mais corrupto e violento, estabelecendo laços com o narcotráfico e usando a sua posição para enriquecimento pessoal.

O filme retrata uma série de acontecimentos que levaram Noriega a se tornar um homem muito poderoso, mas também muito odiado por muitos. Ele chegou a criar um órgão de inteligência próprio capaz de prender e matar quem quisesse, sem ter de responder a ninguém, além de ter começado a estabelecer conexões com a CIA dos Estados Unidos.

Com o tempo, as suas relações com os Estados Unidos começam a se deteriorar, especialmente quando os líderes americanos ficam sabendo das suas ligações com o narcotráfico. Isso leva a uma série de eventos dramáticos que culminam no fim da sua carreira política e eventual prisão pelos Estados Unidos.

O filme nos dá uma visão clara dos eventos que envolveram a ascensão e queda de Noriega e mostra como a corrupção e a ganância podem corromper a mente até mesmo do mais poderoso dos líderes. Ele nos mostra como os grandes países interferem na política de pequenos estados e como isso pode ter consequências catastróficas.

Em resumo, Noriega: O Favorito de Deus é um filme indispensável para todos aqueles que desejam conhecer a história política e social do Panamá durante o século XX. É uma obra que nos faz refletir sobre o poder e suas consequências e que mostra como a corrupção pode destruir até mesmo os mais poderosos dos líderes.