Agnes é a personagem mais jovem do filme, tem apenas 6 anos e é a caçula das três irmãs adotivas de Gru. Ela é uma menina que facilmente conquista o coração de todos com sua doçura e paixão por seu amigo de pelúcia, o unicórnio. Seu amor pelo unicórnio é tão forte que ela o abraça com carinho em diversas cenas do filme, incluindo a cena icônica em que ela diz É tão fofinho que eu vou morrer!.

A relação de Agnes com o unicórnio representa um amor puro e infantil que muitas vezes é esquecido em nosso mundo adulto. Essa paixão pela fantasia e imaginação é valorizada no filme, contrastando com as ações de Gru que é um vilão em busca de roubar a lua. Mas, apesar das diferenças, a presença do unicórnio continua sendo um elemento importante na história de Agnes.

Mas o que torna o unicórnio tão especial para Agnes? Para a personagem, o unicórnio representa um amigo leal em quem ela pode confiar e compartilhar suas experiências. Além disso, ele é um objeto que traz conforto e segurança durante os momentos em que ela se sente triste ou insegura. Através de Agnes, o unicórnio se torna um símbolo de inocência e esperança.

A relação de Agnes com o unicórnio também ensina uma lição sobre a importância de abraçar a nossa imaginação e manter a nossa criança interior viva. Através da personagem, aprendemos que é preciso manter viva a paixão pelo mundo da fantasia e que as coisas mais simples, como abraçar um objeto de pelúcia, podem trazer felicidade para a nossa vida.

Em resumo, a relação entre Agnes e o unicórnio em Meu Malvado Favorito é um exemplo de amor puro e inocente que muitas vezes é esquecido em nosso mundo adulto. Através de sua paixão pelo unicórnio, Agnes nos ensina a importância da imaginação e da nossa criança interior, além de mostrar que as coisas mais simples podem trazer uma grande felicidade para a nossa vida.

Se você ainda não assistiu Meu Malvado Favorito, não perca a oportunidade de conhecer Agnes e seu amor pelo unicórnio. Uma experiência que vai te ensinar sobre a importância do amor e imaginação em nossas vidas.